Primeiro preso por ‘botão do assédio’ em BH já tinha passagem pela polícia

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma mulher de 51 anos denunciou um caso de assédio sexual na manhã desta quarta-feira, dia 7, dentro de um ônibus do transporte público de Belo Horizonte. A ocorrência marcou o primeiro acionamento do  botão do assédio desde que o instrumento foi implantado, no dia 31 de outubro. O caso se deu por volta de 9h30, na avenida Úrsula Paulino, no bairro Betânia, na região Oeste, no ônibus da linha 3051. 

Segundo a vítima, o homem sentou-se ao lado dela com o órgão genital para fora. “Eu estava olhando o celular e, quando vi, ele estava se masturbando e eu gritei”, explicou.

Após o pedido de socorro, o ônibus foi parado, segundo ela. “O motorista acionou a Guarda Municipal e as pessoas seguraram ele dentro do ônibus porque ele tentou fugir”, contou. O homem, de 37, defendeu-se. “Sou casado, tenho dois filhos. Estava apenas com o zíper aberto e fui fechar, mas ela assustou e gritou”.

Apesar do suspeito ter dito que não tem passagens pela polícia, a Guarda Municipal informou que ele já foi detido anteriormente por importunação sexual.

De acordo com a Guarda Municipal, a prisão reforça a importância do botão do assédio. “Se mostrou eficiente, tendo em vista que logo acionado foi gerado um alerta. Além disso fica um alerta para que as pessoas pensem antes de cometer o crime nos ônibus”, explicou o agente Nilson Lamartini da Conceição, que atendeu a ocorrência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *