Comemorações online do Dia do Trabalhador em tempos de coronavírus

Esta semana comemoramos o Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador como é conhecido atualmente. Em 1º de maio, próxima sexta-feira, este ano, as comemorações serão restritas por causa da pandemia do coronavírus e realizadas, exclusivamente pelas redes sociais tanto para manifestações religiosas quanto sindicais.

O dia 1º de maio é dia de São José Operário e a celebração sempre reuniu milhares de pessoas na praça. No entanto, neste ano, em razão do isolamento social estão proibidos os eventos com aglomeração de pessoas para evitar uma maior disseminação da Covid-19. Desta forma, de acordo com informação divulgada pela Arquidiocese de Belo Horizonte, a tradicional Missa do Trabalhador, que ocorre todos os anos na Praça da Cemig, em Contagem, será online em 2020 para evitar aglomerações de pessoas e o contágio da doença.

A missa online será presidida pelo bispo auxiliar dom Vicente Ferreira e concelebrada pelo vigário episcopal da Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida (Rensa), padre Jean Aguiar. “Os trabalhadores são convidados a acompanhar a celebração de casa, a partir das 9h, pelas redes sociais da Região Episcopal pelo Facebook @regiaorensa e pelo Instagram @regiaorensa.

“Trata-se de um grande momento de fé e comunhão entre milhares de trabalhadores que aproveitam para pedir a intercessão de São José, protetor dos operários, e agradecer pelas graças alcançadas. São José, o marido de Maria, era carpinteiro, modelo e protetor dos operários. A Igreja quer que todos reconheçam a dignidade do trabalho e que o trabalhador seja respeitado enquanto colaborador de Deus na obra da criação”, informou a arquidiocese.

O sindicatos também vão fazer a comemoração online:

História

A História do Dia do Trabalho remonta o ano de 1886 na industrializada cidade de Chicago (Estados Unidos). No dia 1º de maio deste ano, milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho, entre elas, a redução da jornada de trabalho de treze para oito horas diárias. Neste mesmo dia ocorreu nos Estados Unidos uma grande greve geral dos trabalhadores.

Dois dias após os acontecimentos, um conflito envolvendo policiais e trabalhadores provocou a morte de alguns manifestantes. Este fato gerou revolta nos trabalhadores, provocando outros enfrentamentos com policiais. No dia 4 de maio, num conflito de rua, manifestantes atiraram uma bomba nos policiais, provocando a morte de sete deles. Foi o estopim para que os policiais começassem a atirar no grupo de manifestantes. O resultado foi a morte de doze protestantes e dezenas de pessoas feridas.

Foram dias marcantes na história da luta dos trabalhadores por melhores condições de trabalho. O movimento se espalhou pelo mundo e, no ano seguinte, trabalhadores de países europeus também decidiram parar por protesto. Em 1889, operários que estavam reunidos em Paris (França) decidiram que a data se tornaria uma homenagem aos trabalhadores que haviam feito greve três anos antes.

Em memória dos mártires de Chicago e por tudo o que esse dia significou na luta dos trabalhadores pelos seus direitos, servindo de exemplo para o mundo todo, o dia 1º de Maio foi instituído como o Dia Mundial do Trabalhador.

O Dia do  Trabalhador no Brasil

Aqui no Brasil existem relatos de que a data é comemorada desde o ano de 1895. Porém, foi somente em 26 de setembro de 1924 que esta data se tornou oficial, após a criação do decreto nº 4.859 do então presidente Arthur da Silva Bernardes. Neste decreto, Arthur Bernardes estabeleceu a data como feriado nacional, que deveria ser destinado à comemoração dos mártires do trabalho e confraternização das classes operárias.

Porém, nas décadas de 1930 e 1940, o presidente Getúlio Vargas passou a utilizar a data para divulgar a criação de leis e benefícios trabalhistas. O caráter de protesto da data foi deixado de lado, passando assumir um viés comemorativo. Vargas passou a chamar a data de “Dia do Trabalhador”.

Além de ser um dia de descanso, o 1º de maio é uma data com ações voltadas para os trabalhadores. Não por acaso, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) foi anunciada no dia 1º de maio de 1943, pelo então presidente Getúlio Vargas. Por muito tempo, o reajuste anual do salário mínimo também acontecia no Dia do Trabalhador.

Além do Brasil, cerca de oitenta países consideram o Dia Internacional do Trabalhador um dia de folga, entre eles Portugal, Rússia, Espanha, França e Japão. Os Estados Unidos, onde ocorreu a mobilização que deu origem à data, não reconhecem este dia como feriado.

Fatos importantes  no Brasil

– Em 1º de maio de 1940, o presidente Getúlio Vargas instituiu o salário mínimo. Este deveria suprir as necessidades básicas de uma família (moradia, alimentação, saúde, vestuário, educação e lazer).

– Em 1º de maio de 1941 foi criada a Justiça do Trabalho, destinada a resolver questões judiciais relacionadas, especificamente, as relações de trabalho e aos direitos dos trabalhadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *