Coluna Educação com Luzedna Glece 12.07.2020 – A realidade é mais criativa que nossa imaginação

Fomos surpreendidos! De repente nossas vidas mudaram radicalmente! As emoções ficaram abaladas diante de tantas incertezas! Abaixo, nosso jovem e brilhante educador e advogado, Israel Mattozo, nos ajuda a compreender um pouco mais sobre a atual situação que estamos vivendo em um artigo por ele escrito. Vale conferir!

Por Israel Mattozo

Fomos surpreendidos por uma realidade inimaginável que sucumbiu as grandes instituições do mundo, a começar pela maior, o próprio sistema capitalista.

Na vida prática, fomos obrigados a repensar a educação, os contratos, as relações com os amigos e parentes, a forma de manter o negócio funcionando, o que é legal e o que não é (do ponto de vista jurídico) e até mesmo a forma com que convivemos com as pessoas dentro de casa, tendo em vista que estamos sendo obrigados a estar-juntos.

As mudanças são drásticas e necessárias. O problema é que não gostamos de mudanças, nem mesmo das pequenas. Traz insegurança, incerteza e necessidade de movimentação. O ser humano tende a se manter como está, mesmo que não seja um lugar muito adequado, seguimos o desejo de permanecer no lugar da estabilidade. Esse comodismo configura todos os papéis que ocupamos na sociedade, como o que diz respeito à religião, trabalho, profissão, relações pessoais, e por aí vai…

Certo é que por mais que tendenciamos a permanecer no lugar de conforto, se assim o fizermos, não seremos capazes de produzir conhecimento, aprendizagem, experiência de vida e adaptação. O conhecimento exige movimento. O processo de aprendizagem é um processo de procura, de empatia, de relação com o outro e com o objeto a ser estudado.

O saber se constrói pela relação que estabelecemos com o novo. E isso nos coloca em um paradoxo, em um lugar contraditório. Se a evolução pessoal e humana só acontece com o movimento e na relação com o novo, por que insistimos em permanecer no lugar de conforto?

Nos acomodamos com a vida como ela era. Nossa imaginação é limitada pelos desejos e como não desejamos a mudança, não conseguimos imaginar mudanças tão radicais na vida. Por isso somos pegos de surpresa e resistimos tanto à nova situação que nos foi imposta atualmente.

A verdade é que a realidade nos impõe a necessidade de movimentação, de aprendizagem, de estabelecer relações que resultem em novos saberes. É preciso sair do lugar de costume e RE-inventar a realidade e, com isso, buscar horizontes melhores de imaginação.

O mundo não depende só de nós para mudar. E quando ele muda, nós é que precisamos nos adaptar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *