Araxá: bonita por natureza

Um lugar tipicamente hospitaleiro
Cidade de nome indígena, “local onde primeiro se avista o sol”, Araxá é  conhecida pelo potencial hidromineral e prioriza a exploração racional de seus de seus recursos incentivando o turismo ecológico. A construção do Grande Hotel do Barreiro e suas termas trouxeram o turismo para a cidade e com ele aflorou várias riquezas da região.

Este lugar, tipicamente hospitaleiro, está situado no Alto Paraíba, em uma das paisagens mais belas das “minas gerais”, composta pela serra da Bocaina e da Canastra. A bacia hidrográfica é formada pelos rios Grande e Paraíba, que além de possibilitarem a umidade do clima da cidade, ainda são responsáveis pela inclusão da cidade no Circuito das Àguas de Minas Gerais. As propriedades terapêuticas das águas medicinas atraem turistas de outras regiões e países.
Conhecida também como a terra de Dona Beja (um mito que se transformou Ana Jacinta de São José, moradora da cidade do século XIX), a cidade explora também o seu potencial histórico. O Museu Dona Beja e a Fundação Calmon Barreto dispõem de instalações apropriadas ao turismo.

Culinária

A culinária de Araxá recebeu influência dos índios, dos primeiros colonizadores portugueses, dos tropeiros e de imigrantes italianos, espanhóis, árabes e franceses. A comida caseira araxaense foi temperada com requintes da comida internacional, influenciada pelos mestres do Grande Hotel, tornando-se conhecida pelo seu sabor inconfundível.
Os doces caseiros de Araxá conquistaram tanta importância que alguns doceiros reclamam que alguns fabricantes de outras regiões colocam em seus produtos o nome de doces de Araxá para garantir a venda, enganando os clientes. Existe um estudo para implantar um selo de garantia  dando segurança aos fabricantes e consumidores.
Se o cliente quiser ele   pode conferir a fabricação pessoalmente com as doceiras. Esse passeio já tornou-se um hábito constante.
E não é difícil encontrar restaurantes tradicionais na cidade. Hoje, o município conta com ambientes totalmente modernos e com a preservação, é claro, do requinte do interior. Do feijão tropeiro a uma especialidade em massas, o visitante encontrará de tudo.
O Grande Hotel e Termas de Araxá é aberto para convenções e atividades ligadas ao turismo. O balneário foi recuperado e modernizado, oferecendo maior segurança e exclusividade para aqueles que estarão hospedados nos hotéis do lugar.

Turismo

Uma das atrações que vem crescendo rapidamente na região, aproveitando a graciosidade da natureza, é o turismo rural, turismo ecológico e o turismo de aventuras.
Hoje a cidade disponibiliza esportes como escalada, rafting (descida de barco em corredeiras), rapel, trail de motos e jepes, esqui aquático e vôo livre.
Hotéis fazenda e pesque-pague são ricas fontes de lazer e descanso na região. O turista pode ainda conhecer e saborear a cachaça frabricada artesanalmente. Depois que o presidente Fernando Henrique decretou a cachaça como produto genuinamente brasileiro, a cachaça de Araxá, devido sua qualidade, vem conquistando seu espaço também no mercado externo, equiparando-se ao preço de bons uisques escoseses.
Completando os atrativos em Araxá, a serra do Bocaina, situada a 27km de distância da cidade, proporciona um dos mais belos visuais da região. Lá foi construída uma rampa para a prática de vôo livre, que encanta ainda mais o local. Junto à rampa encontra-se um restaurante, com quiosque e área de diversão para crianças, tornando o lugar mais aconchegante.

Águas especias

Proveniente de rochas vulcânicas, as águas de Araxá são alcalinas, sulfurosas e radioativas. Seus lençois freáticos são compostos de importante minerais indicados no combate de diversas enfermidades: diabetes, metabolismo lento, debilidades motoras, problemas de pele, males dos rins, fígado e estômago. As águas tornaram-se mais um diferencial para o Grande Hotel do Barreiro. Esse potencial da natureza foi aproveitado através das termas em banhos de imersão.
Ainda hoje, o grande Hotel e Termas do Barreiro, com 55 anos de história e um investimento total de sua reforma orçado em R$ 250 milhões, nos delicia e impressiona.

Grande Hotel:  retrato de uma época

Araxá, cidade famosa pelas propriedades de suas águas, foi cenário de grandes estadistas e personalidades.  Exemplo foi Santos Dumont, o pai da aviação, que hospedou-se no antigo hotel Rádio e o mineiro juscelino Kubistchek que incessantemente realizava visitas ao Barreiro. Em 1944, projetado pelo arquiteto italiano Luís signorelli, o Grande Hotel foi inaugurado pelo presidente Getúlio Vargas. Luxuoso, atrai a atenção pela magnificência, possuindo quatro fachadas duas laterais, uma frontal e outra superior. Nos diversos ambientes destacam-se o mobiliário, lustres com cristais da boêmia,  pisos em mármore carrara, belíssimos afrescos e vitrais.
O luxo dos recintos espelha o marco de uma época. Merecem atenção especial o salão de leitura , o scoth bar em estilo inglês, salão mármore com o salão de festas (onde funcionou o cassino ) e as suítes presidencial e governador. Pelos corredores e salões circulavam atrizes famosas, cantoras da antiga Era do Rádio, homens importantes. O hotel, sem dúvida, foi palco de grandes decisões. Os presidentes da Nova República sempre prestigiaram e visitaram o Grande Hotel do Barreiro.
Atualmente, mesmo com o hotel restaurado – respeitando suas características originais, o número de visitantes não parece ser comparável aos chamados  “áureos tempos”. Alguns fatores contribuíram para que esse declínio ocorresse: o descaso de alguns governantes, a manutenção dispendiosa e a vida moderna que trouxe aos brasileiros várias opções de entretenimento e diversões. Nas décadas de 40 e 50, o Barreiro era cercado de “glamour” e sofisticação, sendo o retrato de uma época de extremo nacionalismo no país. Com a proibição dos jogos no Brasil, o Barreiro fechou as portas do seu cassino, mas alguns não descartam a hipótese de reabrí-lo, se por ventura os jogos forem legalizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *