Valor médio dos presentes das crianças será de R$ 102,78, aponta pesquisa

Foto Divulgação

O Dia das Crianças, comemorado na próxima segunda-feira, dia 12, será a primeira grande data comemorativa de peso para o comércio após a reabertura do setor, em agosto. De hoje, 8, até a segunda-feira, 12, as lojas prometem ficar movimentadas, especialmente porque elas serão o principal canal de compra dos belo-horizontinos para a ocasião, como aponta pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) realizada com consumidores da cidade, entre os dias 25 de setembro e 2 de outubro.

Apesar do tíquete médio significativo, R$ 102,78, a sondagem mostra que houve uma diminuição no percentual de consumidores que irão presentear as crianças neste ano. Em 2019, 65,1% das pessoas entrevistadas afirmaram que iriam presentear na data. Em 2020, a margem foi de 54,5%.

Para pagar os presentes, os consumidores vão optar, em sua maioria, por cartão de débito (27,8% dos entrevistados). O dinheiro em espécie aparece como segunda opção (24,1%). A vista no cartão de crédito (22,2%) e parcelado no cartão de crédito (20,4%) são terceira e quarta opção respectivamente. “Para não se endividar o consumidor está privilegiando os pagamentos à vista”, explica o presidente em exercício da CDL/BH, José Angelo de Melo.

Brinquedos são os itens escolhidos para presentear. Lojas de rua lideram a preferência dos consumidores para local de compra

Dentre os itens que farão a alegria da criançada, os brinquedos estão em primeiro lugar, representando 73,6% das escolhas dos consumidores. Roupas (35,2%), eletrônicos (5,6%), chocolate (3,7%), jogos (3,7) e livros (1,9%) também aparecem na lista. A maioria dos consumidores (29,6%) irá comprar um presente.

As lojas de rua lideram a preferência dos consumidores para local de compra, de acordo com 44,4% dos entrevistados. Os motivos que influenciam nessa escolha são: localização, preço e variedade de produtos. A internet ocupa o segundo lugar no ranking (24,1%). Para quem opta por essa modalidade de compra, os fatores mais importantes são: preço, praticidade e o fato de não estar saindo de casa. Já os shoppings centers estão em terceiro lugar, sendo a escolha de 18,5% dos entrevistados. Variedade de produtos, localização e conforto são os principais atrativos. Nas lojas de rua, o valor médio gasto será de R$ 90,63. Quem optar por comprar na internet, irá desembolsar em média R$ 107,69. Já nos shoppings, o valor investido será em torno de R$ 95.

Mesmo com uma grande parcela dos consumidores, 77,8%, afirmando que não irão celebrar a data, muitos revelam que a comemoração vai além dos presentes. 22,2% pretendem realizar algum tipo de programa e gastar, em média, R$ 79,17. Viagem lidera a lista de programas neste feriado, seguida de almoço em casa com a família, almoço em restaurantes e passeio em parques.

Apesar do Dia das Crianças, vendas no mês de outubro de 2020 devem apresentar queda de 4,64% em relação ao mesmo período do ano passado. Em pesquisa com os lojistas, realizada entre os dias 24 de setembro a 5 de outubro, 50,8% esperam que as vendas seja melhores em relação ao ano de 2019 (47,7%) ou muito melhores (3%). Contudo, 22% dos lojistas acreditam que será pior, em função da pandemia e do cenário macroeconômico adverso com alta taxa de desemprego e de queda na renda.

Em relação às estratégias comerciais para atrair clientes nessa pandemia, os lojistas revelaram que estão investindo na divulgação dos produtos (83,3%), realizando promoções (46,2%), flexibilizando ou facilitando o pagamento (39,4%) e vendendo on-line com a ajuda das mídias sociais (34,8).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *